Citologia Oncótica, Citopunção (PAAF)

O que é Citologia Oncótica (Citopunção, PAAF – Punção Aspirativa por Agulha Fina)?

É a análise microscópica das características das células do nosso corpo, de qualquer localização, em geral voltada à detecção de lesões tumorais; por exemplo o Teste de Papanicolaou ou exame preventivo do câncer de colo uterino é uma citologia oncótica, apenas que de uma localização específica e realizada em escala tão abrangente que mereceu uma designação própria – Colpocitologia Oncótica (colpos é o nome em grego do colo uterino). Pode – se fazer citologias oncóticas de qualquer sítio corporal, em geral utilizando – se de um dos três métodos seguintes: raspado (raspa – se um local, depositando – se o material em uma lâmina de vidro e corando -se por métodos especiais – exemplo pele, vulva, colo uterino), líquidos corporais (é colhido líquido corporal, em geral centrifugado ou concentrado e feita e corada a lâmina do mesmo modo do método anterior, exemplo urina, líquido ascítico, líquido pleural, líquor) ou em terceiro, punciona – se uma estrutura ou um órgão para se obter material (punção por agulha fina ou citopunção, exemplo punção de nódulos de tireóide, cistos de mama, lesões de glândulas salivares, etc). O último método é mais recente porém tem evoluído de maneira acelerada, abrindo uma gama imensa de possibilidades de auxílio no diagnóstico de inúmeras lesões, sendo que por isto, será descrito de maneira mais completa.

O que é Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF) ou Citopunção?

É um procedimento, básicamente um tipo, ou uma variante de citologia oncótica, que visa fornecer informações aos médicos sôbre uma lesão ou uma doença do paciente através de técnica de aspiração, em geral por método de seringa e agulha, de material desta lesão ou de um órgão ou de determinada estrutura, a partir da análise ao microscópio de estendidos feitos com este material em lâminas de vidro e corados por técnicas especiais. É um ato médico, isto é, deve ser feito por médicos tanto no ato de colheita como na interpretação. A última etapa é realizada exclusivamente por médicos especializados, chamados patologistas, com no mínimo 6 anos de formação médica e mais 3 de especialização em Patologia (ou Anatomia Patológica).

O que é visto no exame?

Depende do órgão ou da estrutura puncionada. Frequentemente o que se espera é a confirmação ou a negação de malignidade em uma lesão , como por exemplo em nódulos ou tumorações de mama e de tireóide. Mas atualmente se pratica a citopunção como método de se obter informações sôbre uma variedade enorme de lesões corporais, superficiais ou mesmo profundas e não só com relação a tumores mas também para se obter informações sôbre variadas outras doenças.

Para que se solicita uma citopunção?

Para tentar se chegar a um diagnóstico de uma lesão ou doença, com o mínimo de invasão corporal, isto é, sem se retirar a lesão ou se fazer uma cirurgia para se obter material para exame. O risco de uma punção é, em geral, bem menor que procedimentos cirúrgicos própriamente ditos, além de ter custos operacionais menores também. Pode ser também um passo prévio na investigação da lesão.

O diagnóstico feito através da citopunção é definitivo?

Em geral se considera que não, pois embora frequentemente forneça subsídios inestimáveis, deve ser considerado dentro do conjunto de dados clínicos e laboratoriais arrolados em um processo diagnóstico, principalmente quando envolve categorização de lesões quanto à benignidade ou malignidade. Como para todos procedimentos citológicos, por sua natureza indireta, não se recomendam decisões terapêuticas radicais baseadas apenas nestes achados.

Como se faz controle de qualidade neste tipo de exame?

A análise citopatológica é um procedimento de caráter subjetivo, sua qualidade dependendo antes de tudo da formação de quem a pratica , de sua bagagem de estudo, de atualização e de recursos de consulta a livros, revistas, a outros patologistas e centros especializados.É fundamental, antes de qualquer outro fator uma coleta bem feita, que forneça material suficiente e adequado, o que por vêzes pode ser técnicamente dificultoso pelas características tanto do órgão como da lesão a ser puncionada.

Posso conversar com médico patologista a respeito do meu exame?

Sim. No momento em que seu exame é encaminhado ao médico patologista (ou laboratório de Anatomia Patológica), este passa a pertencer à equipe medica que desenvolve os processos de diagnóstico e terapêutica do paciente, podendo fornecer, quando solicitado, dados e esclarecimentos a eventuais dúvidas do mesmo.

  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Twitter
  • Yahoo! Bookmarks